Transporte em Dublin

Depois de quase 6 meses de Dublin chegou a hora de finalmente escrever sobre os meios de transporte por aqui.

  • Pernas

Dublin é uma cidade plana e como nós moramos não muito longe do centro, nossas pernas são nosso principal meio de locomoção. 😛 Além de estarmos nos exercitando e economizando dinheiro de passagem, muitas vezes também acabamos economizando tempo, já que esperar pelo ônibus e aturar o trânsito e todas as paradas do caminho pode levar mais tempo do que ir a pé.

Como aqui a mão é inglesa, ao contrário do Brasil e do resto do mundo, aqui há sinaleiras para pedestres em praticamente todas as esquinas, com sinalização no chão sobre para qual lado da rua precisamos olhar primeiro antes de atravessar.

  • Carros

Então, a única coisa que sei sobre carros é que eles são baratos de comprar, mas o seguro e estacionamento são caros.

Sobre estacionamento, eu adorei que aqui as vagas já são desenhadas, ou seja, não tem desperdício de espaço por causa de uma criatura que estacionou mais pra lá ou pra cá. A cada duas vagas há um “Z”, para que ambos tenham espaço suficiente para manobrar.

https://www.flickr.com/photos/131057267@N05/21045696451/in/datetaken/

O estacionamento nas ruas é como em Porto Alegre, que precisa ser pago na máquina (dá pra ver a máquina na foto anterior). Caso a pessoa não tenha pago pelo estacionamento ou tenha estacionado fora do seu espaço, é colocada uma trava na roda, e a pessoa precisa pagar uma multa antes de conseguir remover seu carro.

unnamed clamp

  • Bicicletas

Assim como para os pedestres, a locomoção também é fácil para os ciclistas. Em algumas ruas há faixa para ciclistas, mas em alguns pontos ela é dividida com os ônibus. Nas ruas em que não há, a regra é andar sempre pela esquerda. A polícia é relativamente rígida com os ciclistas em relação à segurança: uso de casaco que brilhe no escuro ou luz na bicicleta; proibido usar fone de ouvido, para ficar alerta. O único aspecto negativo das bicicletas é o roubo, que é muito comum, então um bom cadeado é essencial. 

Logo no primeiro mês o Eduardo já comprou uma bicicleta usada por € 50,00, mas também há um serviço público, de aluguel de bicicletas. As pessoas se cadastram e pagam um valor anual (€ 20,00) ou podem comprar tickets de 3 dias (€ 5,00), e têm direito de andar 30 minutos sem tarifa extra, pegando a bicicleta em um ponto e devolvendo em outro. Caso este tempo seja ultrapassado, é cobrado um valor que varia de acordo com o tempo de uso. Se a pessoa devolver a bicicleta dentro dos 30 minutos e precisar continuar o trajeto, ela precisa aguarda 5 minutos até retirar a próxima.

  • Ônibus

Este é o meio de transporte que eu uso para ir trabalhar, já que eu moro no Norte e trabalho bem ao Sul, em lados opostos do rio Liffey.

A tarifa do ônibus muda de acordo com o número de paradas entre a sua entrada e saída, e o valor máximo é € 3,30 por trajeto. Mas, existem algumas opções para baratear este custo… O cartão Leap, que é pré-pago, reduz o valor da tarifa e pode ser usado em todos os transportes públicos de Dublin (exceto Dublin Bikes). Nós, estudantes, ainda temos um Leap Card especial, que dá mais desconto ainda. Além disso, ainda podemos recarregar o Leap com 5 ou 30 dias de ônibus ilimitado. Usando este ticket, só é descontado o dia em que o cartão é usado, podendo pegar quantos ônibus eu quiser naquele dia, por uma tarifa de aproximadamente € 3,40/dia.

Caso a pessoa não tenha este cartão, é preciso falar qual é o destino e pagar para o motorista, em moedas. O interessante é que não é possível pagar em notas, apenas moedas, e para agilizar o processo, já que não tem cobrador, o troco é dado em um tíquete e precisa ser resgatado no escritório do Dublin Bus, no centro.

O valor das passagens é caro, mas é compensado pelo serviço. São MUITOS ônibus disponíveis, algumas rotas chegam a ter um ônibus a cada 8 minutos. E, em diversas paradas, há um letreiro digital, mostrando quantos minutos faltam para os próximos ônibus.

  • Luas

O Luas é o bondinho de Dublin, que atravessa a cidade em dois sentidos. No momento Dublin está passando por obras para a ampliação da linha do Luas, o que está tornando o centro um caos, mas enfim… Eu e o Dudu só pegamos o Luas uma vez, logo que chegamos aqui, mas muitas pessoas gostam de usá-lo por ser mais rápido e pontual que ônibus. Eu, particularmente, uso ônibus por ser mais barato e por chegar mais perto dos lugares onde eu vou, já que o Luas é limitado àquelas linhas específicas.

O pagamento é feito direto em uma máquina na estação, selecionando qual é o seu destino. Ou podemos usar o cartão Leap, fazendo check-in na estação de entrada e check-out na descida.

  • Dart

Este é o trem, que liga Dublin às regiões mais afastadas da Irlanda. Usamos estes transporte pouquíssimas vezes, só para ir à bairros mais afastados do centro de Dublin. Mas também há linhas que ligam Dublin a Belfast, na Irlanda do Norte, e também à várias cidades no sul, sudoeste, centro-oeste e noroeste da Irlanda.

** Como nos transportes públicos daqui o pagamento é feito com base na honestidade, agora começaram a surgir fiscais para confirmar se todos compraram tickets e se não estão indo além da parada que informaram. Acho que o Luas é o que mais tinha problema com isso, já que as pessoas podiam simplesmente entrar no bonde e não tinha ninguém para conferir se haviam comprado ticket ou não.

** Outra coisa interessante, que eu adoro, é que existem aplicativos de celular que mostram o tempo real que está faltando para o ônibus chegar em cada parada.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s