Happy New Year!

E com o fim do ano vem uma reflexão extra, em adição ao agradecimento diário pela saúde, paz e amor que Deus tem abençoado a mim e a todos os meus amados. Traz um pensamento profundo sobre nossas vidas e tudo que aconteceu ao longo do ano, e neste ano tive muito a refletir a respeito.

Quero agradecer a Deus não só por 2015, mas também por 2014 (antes tarde do que nunca). Costumava pensar em 2014 como um ano de sentimentos ruins e desagradáveis: estresse, cansaço, ansiedade. De fato, me estressei com a pressão do TCC, me cansei da rotina que tinha e estava extremamente ansiosa por algumas mudanças em minha vida. Mas também foi um ano muito importante: foram estes sentimentos que levaram às realizações de 2015. Apesar de todo estresse, consegui fechar a etapa da graduação da forma como eu sonhava. Foi o cansaço da rotina que me fez tomar a decisão de fazer uma pausa na minha carreira para aprender mais aqui fora. Não foi só o inglês que me trouxe aqui, mas a vontade de viver tudo mais que esta experiência envolve. A ansiedade que senti por meses me preparou para esta experiência, afinal tive tempo pra pesquisar, assistir milhares de vídeos e ler uma incontável quantidade de posts em blogs.

2015 foi incrível, com sua riqueza de emoções e momentos inesquecíveis. Muito obrigada Deus, por nos emprestar seus anjos, que são nossas famílias e amigos, e por guiar e abençoar nossas escolhas e nosso caminho.

Não posso dizer que não sinto saudades da família, dos amigos e às vezes até daquela rotina. Este é, definitivamente, a parte mais difícil, o pior “contra” entre todos os “prós”. Há algumas semanas eu li um texto, escrito por Ruth Manus, que não poderia descrever melhor o mix de sentimentos que temos em nosso peito, então preciso citá-lo aqui: “É o peito eternamente divido. É chorar porque queria estar lá, sem deixar de querer estar aqui. É ver o céu e o inferno na partida, o pesadelo e o sonho na permanência. É se orgulhar da escolha que te ofereceu mil tesouros e se odiar pela mesma escolha que te subtraiu outras mil pedras preciosas.”.

Mas, com absoluta certeza, não me arrependo dessa escolha, que não foi (e ainda não é) fácil. Pensar no quanto já aprendi aqui e o quanto gosto da minha nova vida ajuda a aliviar a dor da saudade. Aprendi a levar a vida de uma forma muuuuito mais leve, a viver com menos (e mais, ao mesmo tempo): menos estresse, menos pressa, mais tempo livre, mais recordações.

Ainda tenho muito a aprender, mas, citando Ruth Manus novamente, “Será que a gente aprende? A ser filho de longe, a amar via Skype, a ver crianças crescerem por vídeos, a fingir que a mesa do bar pode ser substituída pelo grupo do whatsapp, a ser amigo através de caracteres e não de abraços, a rir alto com HAHAHAHA, a engolir o choro e tocar em frente?”. Sinceramente? Não sei se um dia aprendemos a lidar com todos estes sentimentos mas, enquanto isso, permaneço por aqui, tentando descobrir.

Que 2016 seja ainda melhor que 2015! Feliz ano novo!

………………………………………………………………………………………………

And with the end of the year comes an extra thought, in addition to the daily thanks for the health, peace and love that God has blessed me and my beloved ones with. It brings a deep thought about our lives and everything that happened throughout the year, and this year I had a lot to think about.

I want to thank God not just for 2015, but also for 2014 (better late, than never). I used to think of 2014 as a year of bad and unpleasant feelings: stress, tiredness, anxiety. In fact, I was stressed with all the pressure of my monograph, I got tired of the routine I had and I was extremely anxious and looking forward to some changes in my life. But it also was a very important year: all these feelings brought me the accomplishments of 2015.  In spite of all the stress, I finished my bachelor degree the way I dreamt. It was the tiredness of my routine that made me decide to pause my career to learn more here. It wasn’t only the English that brought me here, but also the will to live everything else that this experience involves. The anxiety I felt for months prepared me for this experience, as I had time to search, to watch a thousand videos and to read an uncountable quantity of posts in blogs.

2015 was amazing, rich in emotions and unforgettable moments. Thanks God, for lending us your angels, who became our family and friends, and for guiding us and blessing our choices and our path.

I can’t say I don’t miss my family, my friends and sometimes even that routine. This is definitely the hardest part, the worst “con” among all the “pros”. Some weeks ago I read a text, written by Ruth Manus, that couldn’t better describe the mix of feelings we have in our chest, so I have to quote it here: “It’s the eternally divided chest. It’s crying because we wanted to be there, while wanting to be here. It’s seeing heaven and hell in the departure, the nightmare and the dream in the stay. It’s being proud of the choice that offered you a thousand of treasures and hating yourself for the same choice that took another thousand of treasures from you.”.

But I’m absolutely sure I don’t regret this choice, which wasn’t (and still isn’t) easy. Thinking of how much I’ve already learnt here and how much I like my new life helps to ease the pain of being away. I’ve learnt how to take it easy, how to live with less (and more, at the same time): less stress, less haste, more free time, more memories.

I still have a lot to learn. But, quoting Ruth Manus again: “Will we ever learn? How to be a son/daughter in the distance, how to love via Skype, how to watch children growing up through videos, how to pretend that the bar table can be replaced by the Whatsapp group, how to be a friend through letters instead of hugs, how to laugh loudly with HAHAHAHA, how to hold the tears and move on?”. Honestly? I don’t know if we can ever learn how to deal with all these feelings but, in the meanwhile, I’ll remain here, trying to figure it out…

May 2016 be even better than 2015! Happy New Year!

Anúncios

One thought on “Happy New Year!

  1. Que linda reflexão! Com certeza 2016 será um grande ano, porque a felicidade pertence a quem a persegue, e isso você e Dudu sabem fazer mto bem! Que o novo ano que inicia traga muita saúde, amor e alegrias pra vocês! Bjos 😙

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s