Trabalhar em Portugal: perguntas e respostas!

Tu também pensas em imigrar para Portugal ou outro país, em busca de maior qualidade de vida, oportunidades e segurança? Como imigrante, eu sei bem que emprego é sempre a maior preocupação ao pensar em morar fora, por isso hoje eu e as outras participantes do projeto #ReconstruindoNoMundo viemos responder a 6 perguntas que recebemos lá no Instagram, sobre como é trabalhar em Portugal e em vários outros países. Não deixem de acompanhar o projeto, porque quinzenalmente, aos domingos às 13h de Brasília, nós trazemos novos conteúdos sobre trabalho, estudos e vida no exterior! Neste artigo, além de responder a estas 6 perguntas, selecionei também outras dúvidas que recebi! Como diriam os portugueses, vamos a isto?

  1. Além do salário, existem gratificações?
  2. Como é disputar vagas com pessoas do país e do mundo inteiro?
  3. Quantas horas costumam trabalhar por dia/semana? Costumam fazer muitas horas extras?
  4. Com autorização de residência como estudante, é permitido trabalhar?
  5. Brasileiros conseguem arranjar um emprego para recomeçar? Onde procurar? O que é preciso?
  6. Existe carteira de trabalho, como no Brasil? Ou tudo é feito via contrato? Qual é a duração dos contratos?
  7. Existe aposentadoria em Portugal?
  8. Eu consigo fazer as entrevistas mesmo do Brasil?
  9. Ter uma experiência em outro país recompensa uma pessoa ter abandonado sua profissão no Brasil?
  10. Uma habilidade essencial para arrumar emprego na área de administração de empresas em Portugal?
1. Além do salário, existem gratificações?

Isto varia muito de acordo com a empresa, mas algumas distribuem um bônus anual, ao atingir os objetivos. Muito comum é que as empresas deem um cabaz de Natal, que é um presente, com produtos como vinho, enchidos, queijos, bolos de natal, etc.

2. Como é disputar vagas com pessoas do país e do mundo inteiro?

Nas cidades maiores, como Lisboa e Porto isso é mais comum, mas ainda assim, não acho que o mercado de trabalho em Portugal seja muito internacional. Felizmente, é possível termos autorização de residência para trabalho, portanto o fato de não termos um passaporte europeu não é um empecilho na hora de concorrer a vagas. Com base na minha experiência, acho que temos as mesmas oportunidades e competimos igualmente com qualquer estrangeiro. O que importa são, realmente, as tuas competências e habilidades.

A questão é: tu tens que investir no desenvolvimento dos teus conhecimentos, para se destacar no mercado. Com base na minha experiência e pessoas que eu conheci aqui em Portugal, é muito comum saberem falar inglês e, muitas vezes, também um terceiro idioma, como o espanhol ou o francês. Outra questão, é que eles costumam fazer o mestrado logo em seguida à licenciatura, mas com isso também demoram mais tempo para entrar no mercado de trabalho (o que pode favorecer a quem já tem experiência). Por exemplo, quando eu concorri a uma vaga aqui, eu já tinha cerca de 7 anos de experiência na área, enquanto um português na minha idade provavelmente teria 2 ou 3 anos, porque enquanto eu comecei a trabalhar aos 18 anos, aqui muitos só começam a trabalhar ao final do curso, pelos 23 anos.

Recomendo que assistam à live que fiz com a Débora, do @debora_moveup, porque ela é especialista com anos de experiência em recrutamento e compartilhou muitas dicas valiosas para se destacar e conquistar um emprego em Portugal.

3. Quantas horas costumam trabalhar por dia/semana? Costumam fazer muitas horas extras?

O normal aqui são 40h por semana, sendo 8 horas diárias e 5 dias de trabalho (salvo exceções, como trabalhos por turnos ou horário concentrado, que acumulam mais horas de trabalho, e depois mais dias de folga). Em um escritório, o horário mais comum é das 9h às 18h, com 1h de intervalo de almoço. Já em fábricas, geralmente são das 8h às 17h. Não é comum fazerem horas-extras, porque aqui elas não costumam ser remuneradas!

4. Com autorização de residência como estudante, é permitido trabalhar?

Sim, desde que não entre em conflito com os horários de aula e não atrapalhe o teu desempenho acadêmico (lembrando que, se a tua AR é para fins de estudos, esta é a tua prioridade, e terás que comprovar ao SEF que foste aluno a tempo integral e tiveste aproveitamento em todas as disciplinas)! Só é preciso notificar o SEF, para emitirem um novo título de residência com a frase “permite o exercício de actividade profissional”. No portal do SEF, tu podes ver mais detalhes sobre o processo de notificação ao SEF!

5. Brasileiros conseguem arranjar um emprego para recomeçar? Onde procurar? O que é preciso?

Sim, é muito comum que os empregos de recomeço façam parte da trajetória de um imigrante. Quando saí do Brasil, trabalhei como babá, entregadora de panfletos e em food truck na Irlanda. A minha trajetória em Portugal foi um pouco diferente, porque já estava em outra fase da imigração, mas caso não conheças a minha história, assiste a este vídeo para me conhecer melhor:

Aqui em Portugal, há muuuuuitos brasileiros trabalhando em serviços gerais, comércio, restaurantes, cafés, lojas, uber, serviços de entrega, como uber eats e glovo, além de fábricas, que também não faltam por aqui. Mas, também conheço muuuitos que conseguiram conquistar uma posição na sua área de formação. Eu sou exemplo disso, porque trabalho na área de exportação, mas conheço também brasileiros trabalhando como dentista, advogado, fisioterapeuta, desenvolvedor de software, e por aí adiante! Clica aqui para ouvir mais histórias!

Alguns dos principais sites para buscar emprego em Portugal são: Indeed.pt, Neuvoo.pt e Emprego.sapo.pt.

Para conquistar uma oportunidade, é preciso:

  • um currículo bem feito, claro, conciso e que se destaque;
  • muita determinação e resiliência, para aplicar para muitas vagas;
  • disposição para recomeçar, mesmo que não seja na tua área profissional;
  • maratonar o conteúdo que eu já compartilhei no YouTube, Instagram e aqui no blog, sobre o mercado de trabalho, carreira e dicas para conquistar um emprego em Portugal!
6. Existe carteira de trabalho, como no Brasil? Ou tudo é feito via contrato? Qual é a duração dos contratos?

Não existe carteira de trabalho em Portugal! Aqui é tudo baseado em contrato, que pode ser a termo (geralmente de 6 meses ou 1 ano, renováveis por até 2 anos), ou contrato sem termo (por período indeterminado).

E como sabem do teu histórico profissional? Pelo teu currículo e perfil no LinkedIn! Aqui realmente confiam no que dizes e escreves, então nem pensa em inventar!

7. Existe aposentadoria em Portugal?

Sim! Aqui é chamado de pensão de velhice ou reforma, e é preciso ter 66 anos e 6 meses em 2021.

O mais legal é que Brasil e Portugal têm acordo de equivalência: as contribuições nos dois países são consideradas na soma para solicitar a “pensão de invalidez, velhice e reforma”, em um país ou outro!

8. Eu consigo fazer as entrevistas mesmo do Brasil?

Dependendo da área, consegues fazer as entrevistas antes de chegar aqui. Isto é mais comum no caso de profissões de alta qualificação ou de grande demanda em Portugal, como a área a Tecnologias da Informação. O Leonardo, do @ti.portugal, nos contou como foi a experiência dele, procurando emprego ainda no Brasil, e as dicas que ele dá para quem está também à procura.

9. Ter uma experiência em outro país recompensa uma pessoa ter abandonado sua profissão no Brasil?

Na minha opinião, qualquer experiência no exterior é válida e enriquece não só o currículo, mas também o teu desenvolvimento pessoal. Morando fora, temos a oportunidade de conhecer uma realidade diferente daquela onde estamos inseridos, temos contato com pessoas de culturas e crenças diferentes, e enfrentamos também grandes desafios. É uma montanha-russa de sentimentos e experiências, que nos faz refletir, aprender e evoluir muito, em conhecimento do mundo e também autoconhecimento. A nível profissional, a experiência de viver no exterior torna-se uma grande prova de competências, porque demonstra que tu estás aberto a desafios, és resiliente e determinado a atingir os objetivos, tens capacidade de adaptação e estás interessado no desenvolvimento contínuo das tuas habilidades e conhecimentos. Obviamente, cada situação é singular e não recomendo que abandonem tudo no Brasil para “tentar a vida”, mas que seja uma decisão bem estruturada e planejada, com um objetivo claro e preparo para isso, para evitar frustrações.

Recentemente, conversei com o Clésio, que foi meu colega no mestrado em Portugal. Diferente de mim, ele decidiu voltar para o Brasil, porque não encontrou aqui as oportunidades profissionais que desejava. Ainda assim, conseguiu cumprir com o seu objetivo inicial, que era o mestrado em Gestão, e voltou com o currículo e o coração ricos em experiências, aprendizagem, viagens e histórias. Se quiseres saber mais sobre as expectativas x realidade, que o Clésio relatou nesse papo, assiste a live completa:

10. Uma habilidade essencial para arrumar emprego na área de administração de empresas em Portugal?

Considero que proatividade e comunicação assertiva são duas competências essenciais. Ambas são muito importantes na rotina de trabalho e, por isso, valorizadas pelas empresas. Tendo estas habilidades, conseguirás comunicar também as tuas outras competências e demonstrar por que tu és a pessoa certa para a vaga.

Tens mais dúvidas? Comenta aqui, que eu vou respondê-las! Um beijo e até a próxima!